CRÔNICAS & REFLEXÕES

What I learned from taking a Cultural Sustainability Intro Class – and how that changed me

What I learned from taking a Cultural Sustainability Intro Class – and how that changed me
Since the beginning of my work career, nearly 20 years ago, I never thought of myself as an academic researcher. I started as a reporter, moved to be a social educator, then a social entrepreneur and finally understood I had a personal purpose, related to the development of sustainable leaders and cultures, and that I could express this purpose in many ways. Ways that included many of the previous things I had done, plus some new ones, like coaching and consulting, and even informal – but never academical – research. However, after many years working focused on my purpose, I felt the ur...
LEIA MAIS

Sobre meu (nosso) privilégio como branco

Sobre meu (nosso) privilégio como branco
Esse texto é uma reflexão minha (Gustavo Prudente), que busca convidar outros brancos para refletirmos juntos. Está dividido em 04 partes e está sendo publicado, de início, inteiro, e, em seguida, cada uma das quatro partes, com link direcionando para o texto inteiro. Agradeço às provocações e à revisão da amiga Caroline Hornos, e à leitura crítica de quatro queridos amigos que estão “do outro lado” deste privilégio: Daniela Damiati, Dimas Reis, Josane Miranda e Supriya Ramos.                    O despertar (parte 1 de 04)   No último ano, devido a uma série de sin...
LEIA MAIS

Minha vida não é um sistema a ser replicado. Minha vida é uma obra de arte singular, e cada pincelada que dou na tela do tempo é única, e jamais poderá ser reproduzida.   Minha vida não é um método que, de vez em quando, dá-me a graça do fenômeno. Minha vida é um constante fenômeno que revela, a cada momento, diferentes brincadeiras – e, de vez em quando, o método é uma forma estruturada e interessante de brincar.   Minha vida não é um exemplo a ser seguido. Minha vida é um acontecimento que inspira, de diferentes maneiras, outros acontecimentos e outras vidas – e é inspi...
LEIA MAIS

Velar o Fogo do Masculino Sagrado

Velar o Fogo do Masculino Sagrado
Em 2014, um grupo de amigos próximos e eu resolvemos iniciar um Círculo de Homens. Depois de várias tentativas de marcar um primeiro encontro, enfim achamos uma data, e acabei não indo no tal encontro, pois nesse mesmo dia fui jantar com uma pessoa que considero um grande mentor para mim. Considerei que aquele havia sido meu Círculo. Durante o ano, chegamos a ter, talvez, cinco encontros, que foram muito nutridores para muitos de nós, e também geraram incômodos. Um deles dizia respeito à nossa inexperiência em equilibrar o “papo sério” – de nossas feridas, do sagrado etc – e o papo “engraça...
LEIA MAIS

A arte da presença significativa

Desde ontem está tomando forma uma pergunta que já vem crescendo em mim há algum tempo: como anfitriar e sustentar a arte da presença significativa? Desde que comecei a compreender no meu corpo alguns conceitos espirituais que antes eram pura abstração, como “estar no aqui e agora”, e experimentei em retiros e outros momentos o poder do silêncio, ficou mais claro o quanto nem sempre a fala é o único ou melhor meio de compartilhar o que é significativo.   Adianto que eu sou totalmente a favor da conversa. Acho a palavra poderosíssima e um ótimo instrumento de expansão da consciência ...
LEIA MAIS

O mundo é cheio de pessoas extraordinárias, fazendo coisas extraordinárias. Talvez tenhamos esquecido de que existem mentores – pessoas mais experientes que nós, que valem a pena ser ouvidas e vividas como referências – mas eles existem. Mentores não são pessoas que sabem quem nós devemos ser, mas são pessoas que, como um alimento delicioso e orgânico, oferecem muitos nutrientes para nosso processo de reflexão. Por terem aprofundado sua humanidade, espelham nosso divino. Por buscarem o divino há mais tempo, nos tornam mais humanos. Enquanto meus dias aqui no Haiti se desenvolvem, agradeço cada...
LEIA MAIS

A estrutura do coração

“Assim meu coração não aguenta”, diz a frase que circula em nossas bocas. Quem é este coração? E o que isto, que ele não aguenta? O coração, tenho descoberto é o contorno, o continente, que dá conta do conteúdo de minha vida – minha essência, minhas emoções, aquilo que realmente importa para mim. É o leito do rio, ou os contornos do oceano, que permitem que rio e oceano possam existir, com toda a sua abundância de vida. E quanto maior e mais forte esse contorno, maior a quantidade de vida que ele pode abarcar.   Estou agora em Washington DC, nos EUA, e tenho pela frente pelo menos u...
LEIA MAIS

O Haiti é aqui, no meu coração

Quero agradecer a todas as pessoas que seguiram seu coração e que me inspiraram a também seguir o meu. Quero agradecer às pessoas que estão seguindo seu coração neste momento e que fortalecem a minha busca. E quero pedir, clamar, convocar a todas as pessoas que ainda não o fizeram que, por favor, sigam o seu coração, pois ele é um rio que nos leva por paisagens deslumbrantes e que, inevitavelmente, nos faz desaguar num oceano infinito de amor, felicidade e prosperidade.   A cada dia que passa, sinto que cada momento, cada conversa, cada experiência, tem um significado tão profundo p...
LEIA MAIS

Hoje termina uma jornada de 2 meses e meio fora de São Paulo e de 1 mês em Aracaju, minha terra natal. Sinto que tal qual a jornada de 70 dias que fiz pelos EUA entre ano retrasado e passado, esta também foi uma viagem talhada sob medida pela vida para que eu abrisse mais meu coração, aproximasse-me mais de mim mesmo e limpasse os canais para o pleno fluir da minha vida e de tudo que está emergindo nela, incluindo carreira e filhos.   Não tenho atração por ficar expondo minha vida íntima nas redes sociais, mas sinto que de vez em quando a vida me traz algum presente ou insight tão i...
LEIA MAIS

Devoção – a relação sustentável definitiva

Por Gustavo Prudente   Nós, seres humanos, estamos o tempo todo buscando nosso “abrigo mais seguro”, como diria o filósofo indiano Prabhat Rainjan Sarkar. Um lugar de felicidade que seja o mais duradouro, ou sustentável, possível. Nessa caminhada, encontramos diferentes níveis de bem-estar e segurança em portos-seguros como o dinheiro, a família, a relação amorosa, os amigos, o trabalho, a realização de um propósito maior de vida e a espiritualidade.   Como somos seres que basicamente se relacionam (até mesmo de olhos fechados “conversamos” com nossa consciência ou com re...
LEIA MAIS