LIDERANÇA

Sobre meu (nosso) privilégio como branco

Sobre meu (nosso) privilégio como branco
Esse texto é uma reflexão minha (Gustavo Prudente), que busca convidar outros brancos para refletirmos juntos. Está dividido em 04 partes e está sendo publicado, de início, inteiro, e, em seguida, cada uma das quatro partes, com link direcionando para o texto inteiro. Agradeço às provocações e à revisão da amiga Caroline Hornos, e à leitura crítica de quatro queridos amigos que estão “do outro lado” deste privilégio: Daniela Damiati, Dimas Reis, Josane Miranda e Supriya Ramos.                    O despertar (parte 1 de 04)   No último ano, devido a uma série de sin...
LEIA MAIS

Ser um homem que monumenta a vida!

Ser um homem que monumenta a vida!
Após a participação num dos encontros do Círculo de Homens que sustento com alguns amigos, escrevi o texto “Velar o Fogo do Masculino Sagrado”, que expressa as reflexões que surgiram desse encontro, sobre como me tornar digno do Masculino Sagrado. Essa reflexão, depois desdobrou-se no que significa para mim Ser Digno.   Algum tempo depois, li este poema de Manoel de Barros, que começou a me dar algumas pistas sobre esse novo tema, e abriu um campo profundo de reflexão e percepção:   “Venho de nobres que empobreceram   Restou por fortuna a soberbia.   ...
LEIA MAIS

Ser forte para ser delicado

A delicadeza, sem força, é um carinho sem tônus, que não confronta. A força, sem delicadeza, é um tônus reativo, que não cuida. A força delicada é um tônus que acolhe. A delicadeza forte é um carinho que protege. Quem são os homens que, hoje, arriscam ser delicados, sem abrir mão da sua força? Quem são os homens que, hoje, sustentam ser fortes, revestindo-se de delicadeza? Conseguir massagear a dor do mundo com mãos que não se acovardam, nem a apertam até sufocar. Conseguir massagear a própria dor com mãos que entram firmes e sensíveis no próprio coração. Respirar o ódi...
LEIA MAIS

Escuta os gritos de Paris. Os gritos de quem agoniza no chão. Escuta os tiros como gritos de quem atira - e os escuta também. Escuta o grito aterrorizado de um mundo que anseia por se sentir seguro. Escuta os gritos do outro mundo, que comemora o sangue, e que grita por algo também. Escuta os gritos que não se ouvem, das vítimas e algozes em lugares que não se vê. Sem a mídia como megafone, eles gritam baixo - mas, ainda assim, gritam também. Escuta os gritos Marianos, Diamantinos, de rios, peixes e pessoas, e tantos outros seres. Gritos que ficam invisíveis ...
LEIA MAIS

Saudade vale a pena!

Saudade vale a pena!
fotos: Germana Lucena - Sadvipra Leadership Training - maio/2015 - Piracaia-SP - Brasil Há alguns dias terminou a imersão Sadvipra Leadership Training, que tenho a honra de co-anfitriar com meu querido mentor Peter Sage. Depois que todos foram embora da Pousada Figueira Grande, em Piracaia, interior de São Paulo, eu e minha mãe (que veio fazer o curso pela segunda vez) ficamos, com a intenção de voltar para a capital no dia seguinte.   À noite, após o jantar, vendo o céu estrelado, a lua crescente, a bela vista para os morros, a mata e represa, e o jardim que, algumas horas antes...
LEIA MAIS

Velar o Fogo do Masculino Sagrado

Velar o Fogo do Masculino Sagrado
Em 2014, um grupo de amigos próximos e eu resolvemos iniciar um Círculo de Homens. Depois de várias tentativas de marcar um primeiro encontro, enfim achamos uma data, e acabei não indo no tal encontro, pois nesse mesmo dia fui jantar com uma pessoa que considero um grande mentor para mim. Considerei que aquele havia sido meu Círculo. Durante o ano, chegamos a ter, talvez, cinco encontros, que foram muito nutridores para muitos de nós, e também geraram incômodos. Um deles dizia respeito à nossa inexperiência em equilibrar o “papo sério” – de nossas feridas, do sagrado etc – e o papo “engraça...
LEIA MAIS

A força do coração

A força do coração
foto tirada em Davao, Flipinas, jurante a jornada   Enquanto volto para o Brasil, após 35 dias fora e de tantos acontecimentos internos e externos que mexeram comigo, relembro as reflexões que compartilhei logo que parti. Naquele momento, a pergunta que emergiu em mim dizia respeito a como criar estruturas mais fortes e poderosas para permitir que a consciência se expressasse de forma mais vigorosa e generosa em mim. E percebo que estou retornando não com uma resposta final, mas com uma vasta colheita de percepções que sinto vontade de compartilhar. Algumas colheitas já estão em mim...
LEIA MAIS

A partido do natural

A partido do natural
Sou colecionador de livros infantis e, onde vou, sempre pesquiso um que seja realmente especial e compro. O mais recente, adquirido na minha passagem pelos Estados Unidos, foi “The Tao of Pooh” – “O Tao do Ursinho Puff”. Sim, é isso mesmo. Um autor, praticante do taoísmo, arriscou fazer a ponte entre os ensinamentos Taoístas e as atitudes do famoso ursinho, em suas histórias. Escrito de forma muito cativante, como se ele estivesse conversando com o próprio urso, já nas primeiras páginas o livro traz reflexões belas e interessantes, e algumas delas me inspiraram a pensar sobre a questão das dit...
LEIA MAIS

O Propósito como força propulsora da Liderança do Coração

Quem já experimentou estar na liderança de um grupo, seja numa empresa, uma organização social, um projeto voluntário, ou mesmo na vida pessoal – numa viagem, no dia a dia com a família ou com os amigos – talvez tenha se deparado com a seguinte pergunta: como manter as pessoas motivadas, comprometidas e proativas? Em muitos momentos, nós entramos na investigação dessa pergunta com alguns pressupostos, como:   Trabalhar em grupo é muito difícil   Lidar com “o ser humano” é muito difícil   Pouca gente é realmente comprometida e proativa   Se...
LEIA MAIS

O mundo é cheio de pessoas extraordinárias, fazendo coisas extraordinárias. Talvez tenhamos esquecido de que existem mentores – pessoas mais experientes que nós, que valem a pena ser ouvidas e vividas como referências – mas eles existem. Mentores não são pessoas que sabem quem nós devemos ser, mas são pessoas que, como um alimento delicioso e orgânico, oferecem muitos nutrientes para nosso processo de reflexão. Por terem aprofundado sua humanidade, espelham nosso divino. Por buscarem o divino há mais tempo, nos tornam mais humanos. Enquanto meus dias aqui no Haiti se desenvolvem, agradeço cada...
LEIA MAIS